30 de agosto de 2013

A CARTA DE CAMINHA

QUAL A PERSONALIDADE LITERÁRIA QUE MAIS SE DESTACA NO QUINHENTISMO BRASILEIRO?



Para responder a esta indagação, Considere o conceito: “Literatura é a arte de escrever usando estética, o belo e a imaginação” (Cássia Rúbia/Quitéria Isabel, 5º p. Letras/2001.1) e o seguinte fragmento da Carta do Achamento do Brasil (Pero Vaz de Caminha):” ... Esta terra, Senhor, parece-me que, da ponta que mais contra o sul vimos, até à outra ponta que contra o norte vem, de que nós deste porto houvemos vista, ...Traz ao longo do mar em algumas partes grandes barreiras, umas vermelhas, e outras brancas; e a terra de cima toda chã e muito cheia de grandes arvoredos. De ponta é toda praia... muito chã e muito formosa. Pelo Sertão nos pareceu, vista do mar, muito grande; porque a estender olhos, não podíamos ver senão terra e arvoredos – terra que nos parecia muito extensa.”

80 comentários:

  1. sim pois faz parte da literatura do quinhentismo a literatura da pré colonização . Porem fica me uma indagação se literatura é arte da imaginação, como esta carta poderia ser literária se esta se tratando de algo real?

    Bruno Marcelino Ferreira da Silva
    4- período de Letras

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bruno,

      A expressão "Literatura do Quinhentismo" não quer dizer no sentido artístico, como trabalhamos hoje, produto da imaginação do escritor.

      Pense nisso!

      Excluir
  2. A CARTA DO ACHAMENTO DO BRASIL

    A carta Pero Vaz de Caminha trata-se de algo não literário, pois bem sabemos que, literatura é a arte de escrever usando estética, o belo e a imaginação.
    observe o seguinte fragmento:"Pelo sertão nos pareceu, vista do mar, muito grande; porque a estender olhos, não podíamos ver se não terra e arvoredos-terra que nos parecia muito extensa".
    De fato, ao lermos o trecho acima, percebemos uma realidade, um acontecimento que ocorreu propriamente dito nos anos de 1500 acerca da chegada dos portugueses ao Brasil (Terra de Vera Cruz)Carta que foi redigida ao rei D. Manoel levada a Lisboa por Gaspar de Lemos, comandante do navio de mantimentos da frota; considerada o primeiro documento escrito da nossa história.
    Portanto, imponho me a dizer que a literatura não trabalha com fatos reais (verdade) a não ser com a verossimilhança.

    ResponderExcluir
  3. Ok, Bruno.

    Acertou em cheio!

    É isso mesmo: literatura é produto da invenção e não registro da realidade comprovada.

    ResponderExcluir
  4. A carta do achamento do Brasil de Pero Vaz de caminha, é constituída de fatos verídicos sendo assim um texto não-literário, pois nos seus trechos não se tem a literariedade, o autor pretende apenas traçar um retrato da terra recém - encontrada e de seus habitantes, como nota-se nos fragmentos: “A feição deles é serem pardos, quase avermelhados, de rostos regulares e narizes bem feitos; andam nus sem nenhuma cobertura; nem se importam de cobrir nenhuma coisa, nem de mostrar suas vergonhas. E sobre isso são tão inocentes, quanto em mostrar o rosto”. E “... a terra em si é muito boa de ares, tão frios e temperados”. Por isso esse texto aproxima-se bem mais de um documento ou de uma noticia. Ele não se enquadra na categoria de romance, conto, novela ou poema, pois o próprio nome da obra já revela que é uma carta, sendo assim de caráter não ficcional, e isso bastaria para eliminar a obra da literatura.

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Além do mais, Jucielle, o propósito de tal escritura já vem denunciado nas palavras de Caminha:

      “Tome Vossa Alteza, porém, minha ignorância por boa vontade, e tenha certeza de que não porei aqui, seja para embelezar ou enfear, mais do que aquilo que vi e me pareceu.”

      Excluir
  5. Pe. VAz de Caminha literatura ou catequese?

    Bem sabemos que literatura é o abstrato algo vemos em poemas, mas será que poderiamos considerar a carta de Pe. José de Anchieta literatura?
    Anchieta fazia parte da comitiva religiosa católica para reeducar os indios.Eram comitivas de jesuitas que enviavam cartas informativas a provincia de portugal.
    "Para Silvio Romero, Anchieta é geralmente considerado um português, um extrageiro de certa inflência religiosa e nada mais".
    De fato, cartas informativas são realidades e não podemos caracteriza-las como literatura (imaginação, abstrato).

    ResponderExcluir
    Respostas


    1. Anchieta ou Caminha? Parece que houve uma confusão entre os nomes dos autores. De qualquer modo, é mais conveniente considerar aspectos da literariedade do texto, para ser literário. Antes mesmo, do lugar onde nasceu o escritor.

      Excluir
  6. A carta de Pero Vaz de Caminha é um dos documentos mais importantes pertencentes ao Brasil, pois nele há informações que compõem a nossa história, como tudo aconteceu, o conteúdo da carta é a descrição completa sobre o nosso pais, é o primeiro documento que temos em mãos sobre a "origem" do Brasil, mas se formos olhar com outros olhos será mesmo que a carta é uma obra brasileira? O autor Pero Vaz de Caminha não era brasileiro, a carta também faz parte da história de Portugal, o conteúdo da carta foi dirigida aos portugueses e não aos índios.

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Muito bem, Claudiane:

      "É o primeiro documento." E documento não é literatura, que trabalha com a invenção de fatos. O valor dessa Carta é mais historiográfico que literário.

      Excluir
  7. Pe.Anchieta literatura ou religiosidade?

    Bem sabemos que literatura é o abstrato, mas será que poderiamos considerar a carta de Pe. José de Anchieta literatura?
    A historia relata que Anchieta fazia parte da comitiva religiosa católica para reeducar os indios.Eram comitivas de jesuitas que enviavam cartas informativas a provincia de portugal.
    "Para Silvio Romero, Anchieta é geralmente considerado um português, um extrageiro de certa inflência religiosa e nada mais".
    De fato, cartas informativas são realidades e não podemos caracteriza-las como literatura (imaginação, abstrato).

    Obs>MInhas sinceras desculpas a todos acerca do nomes dos escritores por tal causa estou postando novamente.

    Bruno Marcelino

    ResponderExcluir
  8. De fato qual seria o primeiro escritor literario do brasil?
    observe o poema abaixo:
    Que falta nesta cidade? Verdade.
    Que mais por sua desonra? Honra.
    Falta mais que se lhe ponha? Vergonha.
    O demo a viver se exponha
    Por mais que a fama a exalta
    Numa cidade onde falta
    Verdade, honra e vergonha.
    Tal poema pertencente a "Gregorio de Matos" escritor bahiano, nos faz acreditar que talvez tenha sido ele um dos primeiros literarios do Brasil, um poeta critico que tinha como uma das vertentes mais conhecidas de sua obra poetica, a sátira politica.
    Acredito que tenha sido ele sim um dos primeiros escritores literários, porem isso não me faz torna-lo o primeiro de todos. Na verdade os primeiros escritores literários do Brasil dão inicio com o barroco escritores que beberam de fontes extrangeiras que produziram textos com caracteristicas barrocas como Gregorio de Matos, Pe Antonio Vieira,Bento Teixeira, alem de Manuel Botelho de Oliveira.
    "Antonio Candido, em seu “Formação da Literatura Brasileira” exclui o Barroco ao defender um modelo de historiografia que indica o Romantismo como o período literário que marca o início da literatura brasileira no século XIX. Segundo Candido, aquele movimento não configura um sistema, ou seja, não possui escritores conscientes de seu papel, nem um público capaz de promover a continuidade literária. Diante dessa tese, as leituras de Haroldo Campos e Afrânio Coutinho se contrapõem ao modelo da “Formação” e apresentam argumentos que defendem o início de nossa literatura brasileira no período Barroco".
    Portanto, de fato vemos que caracterizar o primeiro escritor literário do brasil ou o começo do periodo literário não é uma tarefa facil de descobrir pois muitos críticos questionam tais valores artisticos.

    ResponderExcluir
  9. Ao lermos a carta do achamento do Brasil de Pero Vaz de Caminha, e tendo em mente que literatura é a arte que imita o real pela palavra, defendo a tese de que a carta de Caminha não é literária, pois ao contrário da literatura que imita o real, a carta relata fatos reais, pois o mesmo através da carta descreve ao rei de Portugal o que ele vê durante a navegação.
    Analisemos esse pequeno fragmento da carta:
    "Neste ia, a horas da véspera, houvemos vista da terra! Primeiramente dum grande monte, mui alto e redondo, e doutras serras mais baixas ao sul dele e da terra chã, com grandes arvoredos, ao monte alto o capitão pôs o nome - Monte Pascoal e a terra - a Terra de Vera Cruz".
    Nesse momento Caminha descreve a terra que vê, e logo adiante na carta, ele descreve os povos que ali encontram.
    Como Afrânio Peixoto diz, a carta de Caminha é a nossa CERTIDÃO DE BATISMO. Assim mostrando mais uma vez que a referida carta não é literária, pois como bem sabemos, certidão é um documento. A carta de Caminha não passa de um documento histórico importante para o Brasil.

    Já em Relação de quem é o nosso primeiro escritor literário, podemos dizer que o Pe. José de Anchieta não é esse escritor. Apesar de muitos estudiosos relatarem que ele é o nosso primeiro escritor brasileiro. Contudo ele não é nascido aqui, apesar de boa parte de sua produção literária ser feita aqui.
    Sem falar que naquela época o Brasil não passava de uma Colônia portuguesa. Mas não podemos desmerecer Anchieta que foi o mais antigo vulto da nossa história intelectual, como diz Silvio Romero.
    Acredito que nosso primeiro escritor literário seja Bento Teixeira, autor da "PROSOPOPÉIA", como defende José Veríssimo, que não deixa dúvida no subtítulo do seu livro "DE BENTO TEIXEIRA A MACHADO DE ASSIS". Apesar da biografia de Teixeira ser muito confusa e vaga por haver dúvidas acerca de sua data de nascimento, morte e nacionalidade.


    Aluno: Adriano Santos
    Curso: Letras 4º período

    ResponderExcluir

  10. Parabéns, Adriano, por sua participação.

    O seu texto resume muito bem o debate sobre este assunto que estamos tendo em sala de aula.

    ResponderExcluir
  11. Paula Monique
    4º período letras

    Os jesuítas, agentes da Contrarreforma, foram os responsáveis pela educação durante o período colonial. Justificados por um ideal missionário foram os principais agentes da destribalização dos índios e da sua absorção pelo mundo “civilizado”, incutindo neles os valores de uma educação europeia.
    De intenção pedagógica e moralizante, os textos desta época têm caráter mais didático que artístico. Nessa linha, inclui-se o Padre Manoel da Nóbrega, com o seu “Dialogo sobre a Conversão dos Gentios”, e o Frei Vicente Salvador, com a sua “História do Brasil”.
    Merece destaque, contudo, o Padre José de Anchieta, única figura, em todo o século XVI, que ultrapassou as fronteiras do meramente informativo para alcançar o plano artístico-literário.
     O teatro de Anchieta:
    Anchieta foi o introdutor do teatro no Brasil. Suas peças eram inspiradas na tradição do teatro medieval europeu, tendo como principal modelo os autos de Gil Vicente.
     A poesia de Anchieta:
    Também de inspiração medieval, a poesia mística de Anchieta traduziu a visão teocêntrica do mundo, por meio de uma estrutura poética também medieval, composta pela medida velha (redondilhas maiores e menores).

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. ALERTA!


      ALERTA!


      Você precisa evitar a cópia da internet (É CRIME!).

      Textos copiados assim não têm nenhum valor, pois são verdadeiros plágios. Seu texto está disponível em:

      Literatura de informação quinhentista:Q.I. Educação
      www.qieducacao.com/2010/.../literatura-de-informacao-quinhentista.htm...‎

      Justificados por um ideal missionário, foram os principais agentes da destribalização dos índios e da sua absorção pelo mundo “civilizado”, incutindo neles os valores de uma educação europeia.(...)


      !!!


      Excluir
  12. Anônimo26 de agosto de 2013 19:01
    Brasileira I

    IV Período Letras

    Nataly

    O Padre José de Anchieta é visto como a maior vocação literária que viveu no Brasil Quinhentista, apesar de sua obra ter caráter utilitário, didático e moralizante. Escreveu várias poesias em latim, castelhano, português, tupi e multilíngues. Também escreveu oito autos entre os quais: Na Festa de São Lourenço e Na Visitação de Santa Isabel. Como os autos medievais e aproximando-se do teatro de Gil Vicente, eram encenações simples, envolvendo anjos, demônios, personificações do Bem e do Mal, dos Vícios, das Virtudes, entremeados de rezas, cantos e danças. Sua prosa consta de cartas, informações, fragmentos literários e sermões.

    Responder

    Admmauro Gommes26 de agosto de 2013 22:01

    Nataly:

    Sem sombra de dúvidas, Anchieta é o grande nome deste período, tanto por sua intelectualidade quanto por sua participação efetiva nesta nação, durante a segunda metade do séc. XVI.

    Responder

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Seu texto ficou bom mas não é original.

      Parte dele, pode ser encontrada em:


      www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/quinhentismo/quinhentismo-2.php‎
      No século XVI, a maioria das obras escritas no Brasil não foram feitas por ....

      Ex.:

      O Padre José de Anchieta é visto como a maior vocação literária que viveu no Brasil Quinhentista, apesar de sua obra ter caráter utilitário, didático e moralizante.

      Excluir
  13. O Padre José de Anchieta foi a personalidade que mais se destacou no quinhentismo sendo o principal autor da literatura. Tal literatura tinha como objetivo principal o da catequese. Este trabalho de catequizar os índios norteou produções literárias na poesia de devoção e no teatro. Foi justamente José de Anchieta quem fez a primeira gramatica de tupi-guarani.

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Quem escreve três linhas e copia duas, não está fazendo nada!

      Parte de seu texto foi copiado de:

      Língua Portuguesa: LITERATURA: O QUINHENTISMO NO BRASIL
      ccmc1ano.blogspot.com/2012/.../literatura-o-quinhentismo-no-brasil.htm...‎
      27/05/2012 -

      Está assim na net:

      Este trabalho de catequizar os índios norteou as produções literárias na poesia de devoção e no teatro...

      Excluir
  14. José Bonifácio Batista
    4º período de letras

    Segundo Sabrina Vilarinho , José de Anchieta é o principal autor jesuíta da época do Quinhentismo, viveu entre os índios, pelos quais era chamado de piahy, que significa “supremo pajé branco”. Foi o autor da primeira gramática do tupi-guarani e também de várias poesias de devoção. A literatura de Anchieta tinha como objetivo principal o da catequese. Este trabalho de catequizar norteou as produções literárias desse padre na poesia de devoção e no teatro inspirado nas passagens bíblicas. O movimento de catequese influenciou seu teatro e sua poesia, resultando na melhor produção literária do Quinhentismo brasileiro.

    ResponderExcluir
  15. Pedro Rogério da Silva
    IV Período de Letras

    O Pe.José de Anchieta destaca-se como o único autor desta época cuja produção extrapola o caráter meramente histórico, pois Pero Vaz de Caminha escreve apenas de uma maneira informativa relatando o achamento do Brasil, já Anchieta escreveu poemas líricos, épicos, autos, cartas, sermões e uma pequena gramática da língua tupi. Além do caráter informativo e educacional, algumas de suas criações literárias visavam, apenas, satisfazer sua vida espiritual, ganhando também o título de fundador do teatro brasileiro.
    Uma figura altamente intelectual dono de um saber grandioso, falante de várias línguas podendo desta forma receber o título de principal personalidade literária do quinhentismo no Brasil.

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Copiado da internet não vale!

      Parte do texto está disponível em:

      Quinhentismo - SlideShare
      www.slideshare.net/clauheloisa/quinhentismo-14038952‎
      22/08/2012 - Momento Histórico Corresponde à época dodescobrimento do Brasil. ... (texto original) a El Rei D. Manuel, o Venturoso; A Carta de Pero Vaz de Caminha tem importância por 3 aspectos: .... de


      Anchieta destaca-se como o único autor desta época cuja produção extrapola o caráter meramente histórico.

      Excluir
    2. Pedro Rogério da Silva
      IV Período de Letras

      Ao sermos questionados sobre quem seria a personagem literária que se destacou como a mais importante do quinhentismo no Brasil, foi de fato o Pe. José de Anchieta, até mesmo concordando em parte com o que diz ( SILVIO ELIA ) ‘’ é Anchieta o vulto de maior relevo em nossa emergente literatura’’, ele não foi apenas um vulto de uma emergente literatura ele representou de uma grandiosa forma o quinhentismo brasileiro com seus poemas líricos, autos, sermões, cartas e até mesmo produzindo uma gramática em tupi, recebendo também o título de pai do teatro brasileiro.
      Uma figura altamente intelectual dono de um saber grandioso, falante de várias línguas, podendo assim ostentar o título de maior personalidade literária do quinhentismo brasileiro.

      OBS: Peço desculpas pela parte do texto que copiei da internet e acrescentei na postagem anterior.

      Excluir
  16. AMANDA PATRICIA DE SALES RAMOS

    IV Período Letras

    Pe. José de Anchieta sem duvidas é o personagem mais importante no Quinhentismo brasileiro, nascido nas ilhas canarias veio para o Brasil com seus 17 anos com a missão de catequizar os índios, chegando aqui criou o teatro brasileiro e se destacou justamente por seus autos e poesias nos quais misturava o pensamento religioso com a cultura indígena.
    Em suas principais obras destacam-se, “poema á virgem, os feitos de Mem de Sá, a arte e gramatica mais usada na costa do Brasil, a cartilha dos nativos e carta da companhia”, ao lado dessa produção de cunho didático ele escreveu poemas como o , “Santa Inês”, em que seguiu os modelos literários medievais, fazendo uso da medida velha (redondilha). Por essas obras ele é considerado o autor de maior relevância desse período.



    ResponderExcluir
  17. Raylla Joyce de Araújo França
    IV Período de Letras

    O Pe. José de Anchieta desempenhou um papel de muita importância no Quinhentismo brasileiro, sendo autor de poesias líricas e épicas, teatro, cartas, sermões e a primeira gramática do tupi-guarani. Suas poesias e seus autos misturavam os costumes indígenas a moral religiosa católica. Em suas peças de tetro destaca-se, o Auto de São Lourenço, onde ele escreve em três línguas (tupi português e espanhol). O objetivo principal deste padre jesuíta, com sua produção literária, era catequizar os índios brasileiros. Esse movimento influenciou seu teatro e sua poesia, resultando na melhor produção literária do Quinhentismo brasileiro.

    ResponderExcluir
    Respostas


    1. Cópia mal feita da net.

      :: Literatura Jesuítica - Só Literatura

      www.soliteratura.com.br/quinhentismo/quinhentismo02.php‎

      Destacou-se também por

      suas poesias e autos, nos quais misturava a moral religiosa católica aos costumes dos indígenas. Entre as peças de teatro da época, destaca-se o Auto de São Lourenço

      O texto e o mesmo:

      Suas poesias e seus autos misturavam os costumes indígenas a moral religiosa católica. Em suas peças de tetro destaca-se, o Auto de São Lourenço,

      CÓPIA NÃO AUTORIZADA É FRAUDE!

      CUIDADO!

      Excluir
  18. Davi Antônio
    IV período de letras

    O quinhetismo foi o marco de nosso achamento, e se destacou por seus autores que os mesmo visava transmitir em cartas e textos o que encontraram e a vivencia nas novas terras. José de Anchieta um Espanhol Jesuíta que se tornou o vulto mais importante para a literatura deixando fontes para muitos pesquisadores, mesmo Anchieta tendo o objetivo catequético, escreveu vários autos na língua nativa e poema como o de poema á virgem, segundo Anna Kalewska considera o padre como o apostolo do teatro Brasileiro. Outro autor chamado Ronaldo de Carvalho que ver com clareza a importância de José de Anchieta. Pois o faz um período de formação da literatura mesmo não tendo literatura propriamente dita mas abri caminhos para varias discussão tão eficaz nesse mudo literário.

    ResponderExcluir
  19. jaciara souza de melo ramos30 de agosto de 2013 12:30

    Jaciara Souza de Melo Ramos
    IV PERÍODO DE LETRAS

    O quinhentismo faz parte da literatura brasileira, na verdade ainda não tinha sua identidade a qual foi sendo formada sob influência da primeira carta do achamento escrita no Brasil por Pero Vaz de Caminha. O máximo foi o Padre José de Anchieta que produziu, além de peças de teatro e poemas, uma gramática da língua tupi, tornando assim o primeiro representante da literatura brasileira, pois foi através de sua habilidade e criatividade conseguia ensinar aos povos. Ao mesmo tempo aprendia as línguas dos nativos, ele trazia consigo latim, português e espanhol e aprendeu o tupi guarani com os nativos enquanto catequizava os índios. O Padre José de Anchieta é visto como o primeiro literário que viveu no Brasil na época do quinhentismo.

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. UMA PARTE APENAS QUE SE COPIA COMPROMETE A ORIGINALIDADE DO TEXTO POR COMPLETO.

      Fragmento encontrado em:

      Quinhentismo Brasileiro. O Quinhentismo e o Descobrimento do ...
      www.brasilescola.com › Literatura › Literatura de informação‎
      Primeira página e transcrição da Carta de Pero Vaz de Caminha ao rei de Portugal sobre a descoberta do Brasil. O Quinhentismo, fase da literatura ... A literatura brasileira,


      Veja, é cópia exata:

      na verdade, ainda não tinha sua identidade, a qual foi sendo formada sob a influência...


      Estão perdendo tempo, copiando da internet.

      Excluir
  20. Franciele Thaís Tavares da Silva30 de agosto de 2013 12:42

    Franciele Thaís Tavares da Silva.
    IV Período de Letras


    Q Pe. José de Anchieta, foi o autor que mais se destacou no Quinhentismo brasileiro, um intelectual que enriqueceu a literatura com sua trajetória, um jesuíta que escreveu vários tipos de texto com finalidade pedagógica, como poemas, hinos, canções e autos (gênero teatral originado na Idade Média). E fez a primeira gramática do tupi-guarani, atuando também na catequização de índios e evangelização no Brasil durante a segunda metade do século XVI, defendeu os índios brasileiros das tentativas de escravização por parte dos colonizadores portugueses. Segundo Sílvio Romero, ele foi o jesuíta de mais antigo vulto de nossa história. Portanto Pe. José de Anchieta foi um intelectual que mais contribui no Quinhentismo.

    ResponderExcluir
  21. O Quinhentismo compreende as manifestações literárias ocorrida no Brasil durante o século XVI, correspondendo à introdução da cultura europeia em terras brasileiras. José de Anchieta considerado o principal personagem da nossa literatura Brasileira, o qual se identificou com a nossa realidade, trazendo vários patrimônios linguísticos e a acrescentado a língua mais usada no Brasil o tupi-guarani, destacou-se também com seus poemas, autos, sermões, cartas e hinos, nos quais misturava a moral religiosa católica aos costumes dos indígenas com o objetivo de catequizar os índios Brasileiros, e um dos seus poemas mais conhecido de José de Anchieta são: “do Santíssimo Sacramento” e a” Santa Inês”. Assim como acentua Sílvio Romero (1937:72), ele é realmente “o mais antigo vulto da nossa historia intelectual”, ou seja, o principal marco da nossa história Brasileira.

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Perdeu seu tempo, minha amiga.


      Este texto já existe na net (E NÃO É SEU):

      O quinhentismo compreende as manifestações literárias ocorridas no Brasil durante o século XVI, correspondendo à introdução da cultura européia em terras brasileiras. ...

      DISPONÍVEL EM:

      Quinhentismo - Via Comunicação Digital
      www.viacomdigital.com.br/cineducacao/periodos/quinhentismo.htm‎


      Excluir
  22. Murielle Nicácio
    IV período de letras
    O espanhol José de Anchieta foi quem mais se destacou no quinhentismo durante a segunda metade do século XVI, veio missionar no Brasil e participou da Companhia de Jesus, já ingressou no país dominando as línguas espanhola, latina e portuguesa, depois acrescentou a língua tupi- guarani que aprendeu exatamente para a comunidade catequese foi o primeiro a escrever uma gramática com a língua dos índios, criou vários autos"é uma peça para o teatro produzido em uma parte só" imitando Gil Vicente como O Auto da Pregação Universal, foi o fundador do teatro brasileiro, escreveu poemas. De tudo que fez o mais importante são as obras que ele criou.

    ResponderExcluir
  23. Alindayane da Silva Pereira30 de agosto de 2013 13:52

    Entre várias personalidades no quinhentismo brasileiro, destaca-se o Pe. José de Anchieta que mais se identificou com nossa realidade, viveu no Brasil, onde ficou até 1597, quando faleceu. Anchieta nos legou a primeira gramática do Tupi-guarani; poesias seguindo a tradição do verso medieval; vários textos para teatro, onde ele cumpriu plenamente sua missão caquética. Para as comemorações de datas religiosas, escrevia e levava ao publico autos que, diferentemente da prática discursiva e cansativa dos sermões, veiculavam de forma amena e agradável a fé e os mandamentos religiosos, misturando a moral religiosa, católica aos costumes indígenas sempre preocupado em caracterizar os extremos como o bem e o mal, o anjo e o diabo.

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. CÓPIA É CÓPIA.

      Seu texto está em:

      www.sapientia.pucsp.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=5295‎
      romanos, a história apresenta-se não só com intenções morais, mas também com ...... nova ordem religiosa propôs-se, acima de tudo, a servir à Igreja, como ......

      público autos que, diferentemente da prática discursiva e cansativa dos sermões, veiculavam de forma amena e agradável a fé e os mandamentos religiosos.

      QUE PENA!



      Excluir
  24. Flávia OK!
    Os primeiros documentos escritos no Brasil são relatos dos viajantes europeus que aqui chegaram juntamente com as primeiras expedições marítimas. Nesses contextos , descrevem-se-ora manifestado espanto e aversão ora tecendo louvores- os povos indígenas que aqui viviam , assim como as características da terra , sua fauna, flora e da geografia recém descoberta pelos europeus.
    Com o estabelecimento dos colonizadores na nova possessão portuguesa, apareceram as primeiras obras propriamente literárias criadas no Brasil. Que na verdade trata-se sobretudo de poemas e peças teatrais destinadas à evangelização dos indígenas, que são produzidas por missionários religiosos como Pe. José de Anchieta, missionário da Companhia de Jesus, que veio para o Brasil em 1553 com a função de catequizar os índios onde ficou até 1597.
    “ É Anchieta o vulto de maior relevo em nossa emergente literatura” criador de poemas e sendo o fundador do teatro brasileiro, Anchieta é a figura que mais se destaca por além de seu patrimônio linguístico que trazia(espanhol, português e latim) acrescentou o da língua usada na costa do Brasil, o tupi-guarani dando uma Arte de Gramática, publicada em Coimbra em 1595, sem falar nos seus vários autos. E a importância que esse padre teve na catequização dos indígenas para reaver o que a Igreja havia perdido [...] Pois não se pode falar do Quinhentismo no Brasil e não citar o “vulto de maior relevo em nossa literatura” quão importante e fundamental foi esse homem para sua época e a vindoura para o relato do início da nação.

    ResponderExcluir


  25. TEM MUITA GENTE COPIANDO DA INTERNET, SEM CITAR A FONTE. ISSO É PLÁGIO.


    NÃO FAÇAM ISSO!


    NÃO FAÇAM ISSO!


    ResponderExcluir
  26. Fazer resumo da apostila pode então?

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Resumo é uma coisa, copiar é outra.

      No resumo, "as palavras" são do resumista. Mesmo assim, deve constar o nome do autor de cuja obra se faz o resumo.

      No caso em que estamos "trabalhando," espera-se uma opinião do aluno e não uma pesquisa copiada friamente da internet.

      Excluir
  27. Postado por: Franceline de Oliveira Mendes
    Literatura Brasileira I - 4º período de Letras

    O Pe. José de Anchieta chegou ao Brasil em 1553 para converter os índios ao Cristianismo, escreveu crônicas, poemas, sermões e textos teatrais com finalidades pedagógicas . Uma ação bastante interessante que o jesuíta teve, foi em querer conhecer profundamente a língua dos nativos e que em pouco tempo percebeu que as línguas faladas por varias tribos tinham a mesma raiz formada por aspectos semânticos, gramaticais e vocabulares em comum. É tanto que produziu uma gramática intitulada “Arte de Gramática da Língua mais usada na Costa do Brasil. Anchieta não nasceu, mas veio, andou por toda a extensão, prestou trabalhos em favor da expansão do cristianismo, antes de tudo era um missionário e realizava seu trabalho de catequese. Suas obras se diferenciam do conjunto de escritores do século XVI, por que além de cartas e relatórios documental e histórico, o jesuíta também escreveu poesia e teatro, viveu e faleceu em terras brasileiras. Portanto, Anchieta é a personalidade que mais destacou no quinhentismo brasileiro.

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Isso ainda é cópia.


      literatura brasileira do quinhentismo ao parnasianismo - Moisés Neto
      www.moisesneto.com.br/quinhentismo.pdf‎


      ... obra de José de Anchieta diferencia-se do conjunto dos escritos do século XVI. Além de cartas e relatórios de valor documental e histórico, o jesuíta ...

      Excluir
  28. Adna Taís Feitosa

    Diante de tal questionamento é impossível não citar a grande personalidade que foi o padre José de Anchieta, o qual contribuiu com o seu vasto conhecimento intelectual para a nossa literatura. Ele por ser bilíngue, utilizou-se de tal ferramenta para instruir e advertir através de sermões. O padre José de Anchieta representou a própria literatura, na forma como viveu. Os seus sermões e peças de teatro, mostra o quanto a sua imaginação era realmente um terreno fértil, capaz de leva-lo a lugares inexistentes, as histórias não reais. Anchieta, pode sim, ter se inspirado na realidade para escrever suas cartas e poemas, com um toque de inocência, e criatividade. Embora desprezado por alguns escritores, que menosprezaram a importância de Anchieta, Silvio Romero aparece o destacando como “O mais antigo vulto da nossa história intelectual”, entre tantos Romero enaltece e reconhece a importância que Anchieta teve não só para a literatura brasileira, mas para a cultura do país. Considerado o pai do teatro brasileiro, o mesmo reproduz uma imagem de um ser inventado, que se permitiu criar e aprender com os índios, de forma tão cuidadosa. Conclui-se então, que Anchieta tenha sido o personagem de mais destaque da literatura brasileira.

    ResponderExcluir
  29. José de Anchieta considerado o principal personagem da nossa literatura Brasileira que marcou inicio em 1553 com o segundo grupo de missionário jesuítas , o qual se identificou com a nossa realidade, trazendo vários patrimônios linguísticos e a acrescentado a língua mais usada no Brasil o tupi-guarani onde deu-nos a arte da gramática, Pr. destacou-se também com seus poemas, autos, sermões, cartas e hinos, com o objetivo de catequizar os índios Brasileiros, um dos seus poemas mais conhecido de José de Anchieta são: “do Santíssimo Sacramento” e a” Santa Inês”. José de Anchieta sem duvida marcou a história do Brasil sendo o vulto de maior relevo.

    ResponderExcluir
  30. Clebiane Barbosa das Neves Sena.

    Falar do quinhentismo brasileiro, é preciso mencionar a carta de Caminha, pois, a mesma é considerada a base da literatura brasileira. a primeira obra escrita no quinhentismo é a carta de Pero Vaz de Caminha, podendo não conter traços literários descritos. Porém para Afrânio Peixoto a carta de Pero Vaz de Caminha é o primeiro documento literário do Brasil. Por sua grandiosa obra, e até hoje ser considerado um documento histórico de grande importância, Caminha é a principal personalidade do Quinhentismo Brasileiro. A carta em si é uma descrição verídica da chegada dos portugueses ao Brasil, ele descrevia a fauna e a flora do Brasil, apresentando cada detalhe sobre a terra descoberta pelos mesmos.Tendo como fator a declaração de Peixoto, relatando em sua carta o achamento desta terra, ele em si tornou-se assim o ponto de partida apara o inicio da literatura brasileira.

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Clebiane:

      O seu texto está correto, mas distancia-se do tema em questão:

      QUAL A PERSONALIDADE LITERÁRIA QUE MAIS SE DESTACA NO QUINHENTISMO BRASILEIRO?

      Excluir
  31. Pe. José de Anchieta tem grande importância no Quinhentismo, e sem dúvida é o principal autor deste período. Além de diversas obras, como o poema à virgem, a carta a companhia, a cartilha dos nativos, autor da primeira gramática do tupi- guarani e também de várias poesias de devoção, Anchieta ainda destacou-se por catequisar os índios brasileiros durante o tempo de convivência com eles no século XVI. Os relatos, dessa forma, evidenciam a importância do Pe. José de Anchieta na história da literatura brasileira do Quinhentismo.

    ResponderExcluir
  32. Clebiane Barbosa Das Neves Sena.

    Questionar a personalidade que mais se destaca no quinhentismo brasileiro, é ter que mencionar a carta de Caminha e a sua importância para a nossa literatura. Apesar da carta não conter traços literários, ela foi o marco no início da mesma. E como Afrânio Peixoto declarou “A carta de Pero Vaz de Caminha é o primeiro documento literário do Brasil”; Reforço a ideia de que mesmo não contendo traços literários, essa carta marcou o quinhentismo. Caminha, por sua vez é um grande personagem da nossa história, por ter escrito a tal carta, portando sua originalidade e descrição minuciosa do que avistou em terras brasileiras, descreveu perfeitamente o que viu e até o que não viu. Deixou então suas belas palavras descritas na carta que marcou a história do Brasil. Pois então, é Pero Vaz de Caminha, com a sua carta de achamento do Brasil a personalidade mais importante do Quinhentismo.

    ResponderExcluir
  33. Postado por: Raine Kelly Silva de Almeida.

    Uma das principais personalidades no quinhentismo brasileiro é sem dúvida o Padre José de Anchieta, pois foi ele um grande representante da literatura jesuíta ou de catequese e quem mas se destacou durante esse período, destacou-se com seus poemas, autos, sermões, cartas e hinos. Teve como objetivo principal catequizar os índios brasileiros nesta época, destaca-se ainda, Pero Vaz de Caminha, o escrivão da frota de Pedro Alvarez Cabral, através de suas características geográficas, vegetais e sociais da nossa terra.

    ResponderExcluir
  34. Marina Santos Vilar.
    IV período de letras

    O padre José de Anchieta é considerado como a pedra preciosa de Jesus, sendo a maior destinação literária que viveu no Brasil Quinhentista. Por isso, ao decorrer de sua vida o padre criou cartas e outras poesias de natureza sendo o nome mais destacado da companhia de Jesus, tornando-se a pedra preciosa.
    Da mesma forma que os autos medievais aproximando-se do teatro Gil Vicente eram simulaçôes simples, envolvendo anjos, demôneos, personificações do bem e do mal, dos vícios, das virtudes entremeados de rezas, danças e cantos, sendo vocações literárias.Sua prosa consta de cartas, infomação, fragmentos literários e sermões.

    ResponderExcluir
  35. Nathália Lays Rodrigues de Araújo

    José de Anchieta, foi uma pessoa que tinha uma diversidade de conhecimentos muito grande, tanto em questão de cultura quanto de línguas. Por isso veio ao Brasil com o objetivo de catequizar os índios, seu alvo, os índios, terem uma cultura diferente. Ele se adaptou a elas e foi além,ele escreveu hinos, poemas e canções, que manifestam a cultura desses povos que é bastante rica, se aprofundou nas músicas, danças e suas manifestações culturais. O que fez dele este grande personagem, representante do Quinhentismo. Anchieta abrilhantou a nossa cultura, a nossa literatura, o seu conhecimento nos trouxe grandes frutos, como o teatro, destacando-se assim como o personagem mais importante do Quinhentismo.

    ResponderExcluir
  36. Postado por: FRANCELINE DE OLIVEIRA MENDES
    LITERATURA BRASILEIRA I- 4º de letras

    O Pe. José de Anchieta embora não tenha nascido no Brasil, mas aqui veio, passeou, prestou trabalhos , contribuiu e faleceu. Era um missionário e realizava seu trabalho de catequese, escreveu crônicas, poemas, sermões e textos teatrais com finalidades pedagógicas, também produziu a primeira gramática do tupi-guarani, suas cartas sempre informavam sobre o andamento da catequese no Brasil. Segundo Afrânio Peixoto, o jesuíta Pe.José de Anchieta foi o que mais se destacou com a realidade, pois com três anos após a sua vinda se tornaria sacerdote, ou seja Anchieta tinha objetivos, é tanto que quando chegou fundou um colégio e dedicou toda sua vida a catequese e se preocupou em moralizar os costumes dos brancos colonos. Contudo, pode se dizer que ele foi destaque no quinhentismo brasileiro.

    ResponderExcluir
  37. O Padre José de Anchieta se destaca no quinhentismo como o maior escritor brasileiro. Escreveu muito sobre temas diversos, demostrando sua intelectualidade linguística, sendo autor de poesias líricas e épicas, teatros, cartas, sermões e uma gramática do tupi-guarani. De sua obra destacam-se: Do Santíssimo Sacramento, A Santa Inês (poesias) e Na festa São Lourenço, Auto da Pregação Universal (autos). Usava em seus textos uma linguagem simples, revelando acentuadas características de tradição medieval portuguesa. Seu principal trabalho é o poema à virgem: ‘’De beata Virgine dei Matre Maria’’, escrito na areia de Iperoíg quando prisioneiro dos Tamoios. Fundou o primeiro colégio e posteriormente a cidade de São Paulo. Iniciou o teatro no Brasil e foi pesquisador do folclore e da língua indígena, destacando-se também na catequese dos índios.

    ResponderExcluir
  38. Severino Vicente da Silva Neto30 de agosto de 2013 20:48

    Anchieta tornou-se uma grande personalidade literária por seu desenvolvimento linguístico. Onde usou esse dom para elaborar suas obras que influenciaram bastante na formação do quinhentismo brasileiro.
    José de Anchieta também usou essa técnica linguística e literária para catequizar os índios, trazendo para eles culturas diferentes, principalmente na área da religião, onde desenvolveu também a língua tupi guarani.
    Sendo assim, o quinhentismo brasileiro é caracterizado por suas obras e por sua grande inteligência.

    ResponderExcluir
  39. krislaine Vanessa dos santo

    Pr.josé de Anchieta,um missionario religioso que não era brasileiro mais é um dos grandes nomes que se destacam no quinhetismo brasileiro,o fato de ter vivido ente os indios ,o fez ser um destaque entre os demais,apelidado pelos indios de supremo paje branco.Segundo relatos de Afranio pexoto o Pr.josé Anchieta,não tinha como não se destacar, pos era um jesuita que se preocupava com sua missão,ele tinha trabalhos de catequese,e focava no melhor para todos,era tambem um grande escritor e se tornaria um sacerdote.Pr josé de Anchieta se destacou como representante da literatura jesuita,é concerteza,um dos nomes que se destacam no quinhetismo Brasileiro.

    ResponderExcluir
    Respostas


    1. Cuidado para não se confundir com as abreviaturas:

      Pr. = Pastor

      Pe. = Padre

      PE = Pernambuco

      Excluir
  40. BRUNA VALERIA

    O QUINHENTISMO BRASILEIRO, FOI MARCADO POR UM DOS GRANDES ESCRITORES DA LITERATURA BRASILEIRA, QUE FOI MACHADO DE ASSIS , ELE FOI UM DOS GRANDES ESCRITORES QUE SE DESTACOU E QUE HOJE AINDA É DESTAQUE NO QUINHENTISMO BRASILEIRO, E É CONSIDERADO COMO O MAIOR NOME DA LITERATURA BRASILEIRA, POIS ESCREVEU VÁRIOS GÊNEROS LITERÁRIOS. MUITAS DE SUAS OBRAS QUE FORAM DESTAQUES, FORAM USADAS NAS ESCOLAS, TUDO ISSO ACONTECEU ENTRE O SECULO XIX E XX E INFLUENCIOU GRANDES NOMES. TODAS AS SUAS OBRAS TEM ALCANÇADO GRANDES CRITÉRIOS, POIS MACHADO DE ASSIS É CONSIDERADO UM DOS GRANDE GÊNIOS DA LITERATURA BRASILEIRA.

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Bruna:

      Utilize também letras minúsculas. Envie outra vez o seu comentário modificando os caracteres.

      Excluir
  41. Alindayane da Silva Pereira30 de agosto de 2013 21:18

    O Pe. José de Anchieta destaca-se entre as várias personalidades no quinhentismo brasileiro. Anchieta tem uma capacidade extrema de falar muitas línguas, quando veio ao Brasil já proferia espanhol, português, e latim; amplificando o tupi-guarani, que aprendeu no afã nos deixando a primeira gramática. Com essa habilidade a compreensão dos seus destinatários eram explicita. Criava textos com destinação pedagógica como autos, canções, hinos, poemas e vários textos para teatro, tendo em perspectiva a catequese.

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Esta expressão ficou muito vaga:

      "Com essa habilidade a compreensão dos seus destinatários eram explicita."

      Excluir
  42. Géssica Maria de Almeida30 de agosto de 2013 22:17

    O Padre José de Anchieta é a personalidade literária que mais se destaca no quinhentismo por seu vasto conhecimento intelectual e patrimônio lingüístico, que trazia ( espanhol, português, latim), acrescentando o da língua mais usada na Costa do Brasil; ou seja, o Tupi – guarani, adquirido no afã de bem cumprir sua missão catequética. Anchieta é autor de varias poesias em latim, castelhano, português, tupi e multilíngües. Foi através dessa língua nativa que nos deu uma Arte de Gramática. Além disso, escreveu outros, entre eles: Na festa de São Lourenço (trilingue), Na Vila de Vitória (bilíngüe). Entre autos, na linha Vicentina, tendo como o mais conhecido O Auto da Pregação. Conclui- se então, que José de Anchieta foi sim, um dos personagens que marcou a nossa literatura brasileira, sendo ele destacado como “O mais antigo vulto de nossa história intelectual.”

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Tenha mais cuidado no "Não uso" do trema:

      lingüístico
      multilíngües


      Excluir
  43. Qual a personalidade literária que mais se destaca no quinhentismo Brasileiro?
    Acredito que a personalidade que mais se destaca no quinhentismo não é o Pe. José de Anchieta com suas cartas informativas ate porque o próprio “Silvio Romero” descreve isto quando diz:
    “Anchieta é geralmente considerado um português de certa influência religiosa e nada mais”.
    Dessa maneira defendo a tese de ser “ Bento Teixeira Pinto” a grande e primeira personalidade literária e que mesmo lançando sua obra Prosopopéia no ano de 1601, isso não prova que o mesmo não tenha participado do quinhentismo, acredita-se que sua obra teve inicio no quinhentismo, e que foi ele o primeiro e maior literário da época, ocupando uma um lugar de destaque por ser o primeiro a publicar uma obra poética no Brasil reconhecido por “Oliveira Lima” em seu lívro “Aspectos da Literatura Colonial Brasileira”, dedicado a primeiros escritores do século XVI-XVII como uma das figuras quase unicas da sua galeria de escritores.

    Bruno Marcelino

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Muito bem, Bruno. Só uma ressalva a fazer: Como a questão é para defender quem é, não precisava dizer quem não é (Anchieta).

      Excluir
  44. O Padre José de Anchieta foi a personalidade que mais se destacou no quinhentismo,pois foi um autor muito conhecido por suas grandes características de um maravilhoso autor visto como:"o mais antigo vulto da nossa história intelectual".Publicou uma gramática e trazia ao patrimônio linguístico o espanhol,português e latim, além disso escreveu cartas e poemas. Um grande exemplo é que ele contribuiu no período de formação da literatura brasileira, por isso o Padre José de Anchieta foi um grande literário da nossa historia.

    ResponderExcluir
  45. Alcione Maria Silva Santos31 de agosto de 2013 01:15

    Caminha é o nome que se destaca no quinhentismo brasileiro, pelo seu carácter informativo das descrições das terras brasileiras , em tom de deslumbramento. Sendo este um autor da carta, documento de inestimável importância por ser a primeira descrição do Brasil. A carta do autor , apesar de caracterizar-se mais como um relato , uma cronica de viagem, possui muitas qualidades literárias as quais influenciaram poetas modernistas como Oswaldo de Andrade na composição de pau-brasil e Mário de Andrade em sua obra Macunaíma, na "Carta pras Icamiabas".

    ResponderExcluir

  46. Estava muito bom se não houvesse esta cópia da net:

    documento de inestimável importância por ser a primeira descrição do Brasil. . José de Anchieta: ...

    DISPONíVEL EM:

    Letras em foco: Quinhentismo
    blogdaval-letras.blogspot.com/2009/08/quinhentismo.html‎
    24/08/2009 - Pero Vaz de Caminha: autor da Carta,



    ResponderExcluir
  47. José de Anchieta o grande piahy(supremo pajé branco)como era chamado pelos índios.Veio para o Brasil em 1553;no ano seguinte ,fundou um colégio em pleno planalto paulista,embrião da cidade de São Paulo.
    Anchieta nos legou,sempre como parte de um exaustivo trabalho de catequese:a primeira gramática de tupi guarani,verdadeira cartilha para o ensino da língua dos nativos(Arte da gramática da língua mais usada na Costa do Brasil);várias poesia,seguindo a tradução do verso medieval(destaque para o poema à virgem ou,no original em Latim, de Beata Virgine Dei Matre Maria)vários outros, também de natureza medieval,por tanto é considerado a personagem que mais se destaca no quinhentismo pela suas cartas historiográficas e poemas. (Jackson Cesar Silva Souza)
    4ºPeríodo de Letras

    ResponderExcluir

  48. Isso é cópia, Jackson. Assim você perde seu tempo (e o meu!)

    Já está na net:

    Anchieta nos legou, sempre como parte de um exaustivo trabalho de catequese: a primeira gramática do tupi-guarani, verdadeira cartilha para o ensino na língua dos nativos (Arte da gramática da língua mais usada na costa do Brasil); ...

    Disponível em:

    Equipe Quinhentista: Quinhentismo
    quinhentistas.blogspot.com/p/quinhentismo.html‎
    Ainda não se pode falar em literatura do Brasil aquela que reflete o cosmo visão do ....

    ResponderExcluir
  49. Willy Silva


    Considerando que literatura é a arte da imaginação, isto é, o que se parece com a verdade, é correto afirmar que a carta de Caminha não é literária pelo fato da mesma apresentar uma descrição real sobre a viagem de Portugal ao Brasil, o que de fato aconteceu há séculos atrás.
    Certamente é o padre José de Anchieta o quientista que marcou a história de nossa Literatura brasileira, por ter desempenhado através de seu patrimônio lingüístico, grande influência religiosa no processo de catequização dos índios, o que o motivou a fazer a maior parte de suas obras literárias.
    Conforme escreveu Fernando Rebouças, “No processo de catequização utilizou o teatro e a poesia para ensinar a fé cristã; ensinou o latim e aprendeu o tupi-guarani. Publicou a Arte da Gramática da língua mais falada na costa do Brasil”.
    Diante desta afirmação, é possível considerar este grande escritor religioso como o maior representante da literatura do nosso país.

    ResponderExcluir
    Respostas



    1. Lamento não ter alguém matriculado nesta disciplina como Willy.
      Deve ser engano.
      Mesmo assim, o texto parece muito confuso!...

      Excluir
    2. WILIANE ROQUE DA SILVA


      É o padre José de Anchieta, o maior representante da literatura brasileira. Possuidor de um admirável conhecimento linguístico, este obteve grande destaque na arte literária durante o período quinhentista.
      Alcançou enorme reconhecimento ao produzir poesias líricas, épicas, cartas, sermões e peças teatrais, onde por meio de suas obras pretendia expor ao público o sentimento de renovação de fé, como afirma Fernando Rebolças, “No processo de catequização utilizou o teatro e a poesia para ensinar a fé cristã”. Anchieta veio ao Brasil com a missão de instruir os índios, e este papel desempenhou com muita dedicação. Ensinou o latim e com eles aprendeu a língua tupi-guarani. Contribuiu para o processo de formação da cultura brasileira. Ao escrever suas poesias utilizava de uma linguagem ingênua, simples e direta. Podemos observar em sua obra “A Santa Inês”, que trata com muita simplicidade do confronto ente o bem e o mal.
      Considerado o introdutor do teatro no Brasil, e ainda como o vulto de maior relevo na história da nossa emergente literatura. José de Anchieta é sem dúvidas, o marco da literatura do nosso país.

      Excluir


    3. Ok, WILIANE ROQUE DA SILVA. Agora, sim!

      Excluir
  50. A personalidade que mais destacou-se no quinhentismo foi o padre José de Anchieta. Seu objetivo era catequizar os índios e repassar o evangelho ao povo brasileiro.
    No século XVI foi um dos maiores defensores dos índios nas tentativas de escravidão por parte dos colonizadores portugueses.
    Anchieta, era espanhol. Um homem de grande cultura, foi teatrólogo, historiador e poeta.
    O mesmo, nos deixou uma linda história e incontáveis ensinamentos, na qual devemos valorizar.

    ResponderExcluir
  51. POSTADO POR: AMANDA PATRICIA DE SALES
    Anchieta é o personagem de maior relevância no Quinhentismo brasileiro, chegou no Brasil ainda jovem, aqui, além de desempenhar o papel de missionário da fé católica, compôs alguns autos e poesias. Uma de suas poesias bastante conhecida é, “A Santa Inês”, escreveu em latim, castelhano e português.
    Segundo Extremera Tapia, “Anchieta nasceu poeta e fez-se apóstolo”. Pois o talento para a poesia o tornou brilhante

    ResponderExcluir
  52. Flávia, Resumo Quinhentismo

    Quinhentismo corresponde à introdução da cultura europeia em terras brasileiras, fase da literatura brasileira do século XVI, que diz respeito a 1500. Não podemos falar em uma literatura do Brasil, pois a literatura ainda na verdade não tinha identidade, aquela que reflete a visão do homem brasileiro, pois foi sendo formada sob influência da literatura portuguesa e europeia. Podemos falar numa literatura no Brasil, ou seja, uma literatura ligada ao Brasil que denota as ambições e as intenções do homem europeu.
    Daí é onde se destaca uma literatura informativa, também chamada de literatura dos viajantes ou dos cronistas, reflexo que é das Grandes Navegações, que se empenha em fazer um levantamento da “terra nova”, sua flora, sua fauna, sua gente. Daí ser uma literatura meramente descritiva e, como tal, sem grande valor literário. Esses documentos são, portanto a única fonte de informação sobre o Brasil no século XVI.
    E a literatura dos Jesuítas que é a consequência da Contra-Reforma, a principal preocupação dos jesuítas era o trabalho de catequese, objetivo primeiro que determinou toda a sua produção, tanto na poesia como no teatro, mesmo assim do ponto de vista estético foi a melhor produção literária do Quinhentismo brasileiro.
    Essas seriam, portanto as principais manifestações literárias no século XVI.
    Nicola, de José, Literatura Brasileira: das origens aos nossos dias. 14ª ed. scipione, 1996.
    Flávia Estefhane de Almeida IV período de Letras

    ResponderExcluir
  53. Bruna Valeria
    O quinhentismo brasileiro, foi marcado por um dos grandes escritores da literatura brasileira, que foi Machado de Assis, ele foi um dos grandes escritores que se destacou e que hoje ainda é destaque no quinhetismo brasileiro, e é considerado como o maior nome da literatura brasileira, pois escreveu vários gêneros literários. Muitas de suas obras que foram destaques, foram usadas nas escolas, tudo isso aconteceu entre o século XIX e XX e influenciou grandes nomes. Todas as suas obras te alcançado grandes critérios, pois Machado de Assis é considerado um dos grandes gênios da literatura brasileira.

    ResponderExcluir
  54. Boa noite.Gostaria de saber se é possível eu contar com sua ajuda.Estou montando um trabalho com minha turma de 6 º ano sobre o livro A Carta de Pero Vaz de Caminha . E estou precisando de ideias para apresentar esse trabalho. Desde já agradeço. Simone Maciel

    ResponderExcluir