18 de junho de 2015

O CORAÇÃO TAMBÉM PENSA


Admmauro Gommes
Poeta, Professor de Teoria Literária e
Literatura Brasileira da FAMASUL (Palmares/PE)

Há muito tempo venho me perguntando se o coração tem a capacidade de se emocionar ou esta é atribuição apenas do cérebro. As indagações foram aumentando ao afrontar as expressões “Coração de mãe não se engana” e “Coração apaixonado,” este último é conhecido jargão do sentimentalismo poético, repetido por tantas gerações. Qualquer curioso fecharia a presente questão compreendendo que o ato de pensar, ter sentimentos, memorizar e ser imaginativo é tarefa de um único órgão: o cérebro.
Eu também estava convicto da mecanicidade do coração, apenas de bombear o sangue, sem “pensar.” Quando li na internet um texto da terapeuta Maria Helena Leite de Moraes: “A inteligência do coração,” mudei de ideia. Em suas palavras “A mente opera de uma maneira linear e lógica o que é muito útil e importante no dia-a-dia, mas às vezes precisamos algo além da análise lógica para resolver algum problema e aí entra a capacidade intuitiva e emocional que é a inteligência do coração.” Estas descobertas são atribuídas a John e Beatrice Lacey, do Fels Research Institute (Filadélfia, Estados Unidos).
Na mesma linha de pensamento, Giovana Tessaro afirma que “O coração reage ao que percebe, influenciando todo o corpo, inclusive, o cérebro” (personare.com.br). O Dr. Rollin McCraty entende que “Há um ‘cérebro no coração, metaforicamente falando’. O respeitado pesquisador pertence ao Instituto HeartMath, uma organização sem fins lucrativos que oferece tratamentos com base na conexão entre o coração e o cérebro. “O coração contém neurônios e gânglios que têm a mesma função que as do cérebro, tais como a memória. É um fato anatômico”, disse McCraty (epochtimes.com.br).
Defendem os especialistas, portanto, que a estrutura do coração é similar à do cérebro, embora este tenha aproximadamente 86 bilhões de neurônios. O coração possui 40 mil, além de uma completa e espessa rede de neurotransmissores, proteínas e células de apoio.
Talvez seja por isso, sem demérito da razão, e sem conotação, que encontrarmos um sentido bem próximo do referencial quando lemos que “Enganoso é o coração... e perverso” (Jr 17.9) ou quando damos ouvidos ao coração dos poetas. Na opinião de Sigmund Freud (Delírios e sonhos na Gradiva de Jensen), “Os poetas (...) são aliados preciosos, e o seu testemunho merece a mais alta consideração, porque eles conhecem, entre o céu e a terra, muitas coisas que a nossa sabedoria escolar nem sequer sonha ainda. São, no conhecimento da alma, nossos mestres, que somos homens vulgares, pois bebem de fontes que não se tornaram ainda acessíveis à ciência.” No meu ponto de vista, “fontes” que não passaram pela mente, pela razão, mas surgiram do sentimento, do âmago, e da alma, onde a emoção existe antes de ser palavra.

 Neste ponto, merecem atenção também Julio Iglesias (Coração apaixonado / Só escuta a própria voz e nada mais), e Wando (Chora, coração). Mais profundo ainda, vale lembrar o exímio escritor português que disse: “É o coração que faz o caráter” (Eça de Queiroz). Por fim, resta dizer da “falta” que o coração nos faz quando “desaparece.” Termino com a genialidade de Gabriel Garcia Márquez: "Se eu tivesse um coração, escreveria meu ódio sobre o gelo, e esperaria que saísse o sol." Por estas e outras, devemos acreditar nesse “pequeno cérebro”, pois embora o coração de poeta esteja sempre confuso, o de mãe não se engana.

18 de maio de 2015

A LEITURA E A ESCRITURA EM ROBERTO DE QUEIROZ


Admmauro Gommes
admmaurogommes@hotmail.com
Poeta, Professor de Língua Portuguesa, Teoria Literária e
Literatura Brasileira da FAMASUL (Palmares/PE)

         Para Horácio, um dos maiores poetas da Roma antiga, a poesia devia “instruir e deleitar, ou deleitar instruindo”. Atualizando esta sentença, diria Roberto de Queiroz que a leitura, para ser eficiente, deve deleitar enquanto instrui. 
Em texto publicado na Folha de Pernambuco (15/05/2015, Opinião, p. 8), Queiroz reconhece que “Os estudantes da educação básica das escolas públicas brasileiras demonstram não gostar de ler nem de escrever.”

10 de maio de 2015

ADMMAURO GOMMES NO DIÁRIO

Este texto foi publicado no jornal 
Diário de Pernambuco 
de 8/5/2015





O NOVO SEMPRE VEM


 Admmauro Gommes
A. Gommes
Sobre minhas tantas indagações acerca do que me cerca, talvez o que mais me incomode seja o advento do novo. Este trem carregado de ogivas que, por prudência, dele preciso me afastar, mas por necessidade, necessito agarrar-me ao seu para-choque que abre fronteiras e descortina encantados mundos. Permaneço vigilante para ver se o reconheço, se percebo as suas aparições antes que seus trovões me acordem no meio da noite. Sempre na vanguarda do tempo, ele tem a casca imanente do inusitado, do que chega pela primeira vez sem avisar, do que não se espera.

3 de maio de 2015

ADMMAURO GOMMES E ROBERTO DE QUEIROZ NO RN

O Jornal Gazeta do Oeste, do Rio Grande do Norte, publicou recentemente um artigo de Admmauro Gommes sobre a poética de Roberto de Queiroz. Veja o texto em seguida e o endereço para acompanhar a edição original (pág. 2).


























Leia também:
Artigo sobre Admmauro Gommes na Folha de Pernambuco
PELOS MARES DO POETA
Por Roberto de Queiroz



19 de abril de 2015

FUMAÇA

       

A vida é um trem
feito de fumaça.
Contra a nossa vontade
na estação da saudade
o trem fica e a gente passa.


         (Admmauro Gommes)

31 de março de 2015

A VOLTA DE VITAL CORRÊA

O poeta VITAL CORRÊA DE ARAÚJO (de óculos escuros) tem participado nos últimos anos de vários momentos com universitários da FAMASUL. Sempre discutindo questões acerca da poesia absoluta, bandeira literária que ganhou forças nesta faculdade, esteve presente mais uma vez (31/3/15)

19 de março de 2015

FEELING POÉTICO

 Por Vital Correia de Araújo
        
Abaporu (pintura a óleo de Tarsila do Amaral)
        O professor de teoria literária da FAMASUL, Palmares, Admmauro Gommes, eu o tenho como um homem cortês, inteligente, cultivador, religioso e magnífico poeta. Nos últimos dois anos, tem desenvolvido um trabalho espetacular pela introdução de um novo conceito ou renovação conceitual de poesia, à frente do movimento literário Poesia Absoluta. Tem produzido Admmauro Gommes poemas e crítica sobre o que eu nomino de poesia remoderna ou neoposmoderna.

18 de março de 2015

FERNANDO PESSOA POR OSMAR PRADO

O magistral Poema em linha reta de Fernando Pessoa é interpretado brilhantemente pelo grande ator Osmar Prado. Impressionante!

O texto começa assim:

“Nunca conheci quem tivesse levado porrada.
Todos os meus conhecidos têm sido campeões em tudo...”

15 de março de 2015

MARGARINA, HAICAI E POESIA ABSOLUTA


DA COMPOSIÇÃO DA MARGARINA AO CONSUMO DA POESIA
           Por Cleber Teixeira

Cleber Teixeira
Numa sala de aula, tirar texto de aluno é como tirar leite de pedras. É?

Há alguns anos, conheci o professor Admmauro Gommes, quando estudava Letras na FAMASUL, em Palmares, PE. Sujeito tranquilo de prosa articulada e poesia elegante, ironia cáustica e postura altruísta. Com ele comecei e desvendar literatura e perceber que há muito texto dentro da gente implorando pra sair.

14 de março de 2015

INSPIRADO POR MARGARINA

14 Poemas de Admmauro Gommes, Cleber Teixeira, Neilton Farias, Rejane Correia, Genyff Farias, José Rodrigues Filho (Zé Ripe), Sylvia Beltrão, Marcondes Torres Calazans, Ademac Gommes, Kenedy Wellington Moreira e Silva, Vital Corrêa de Araújo, Suzane Ferreira, Edson Marques e Fábio Nazaro
        Sobre a polêmica se existe inspiração ou não, provoquei os participantes de um minicurso na FAMASUL (02/03/15) instigando-os a

13 de março de 2015

DIA DA POESIA

Em 14 de março, comemoramos o Dia Nacional da Poesia.


Criada para difundir a poesia e a linguagem literária, a data foi escolhida para homenagear um de nossos maiores poetas, Antônio Frederico de Castro Alves, nascido na cidade de Curralinho (hoje Castro Alves), em 14 de março de 1847. Castro Alves foi considerado um dos mais brilhantes poetas românticos, responsável por uma nova concepção de amor na Literatura, além de um notável entusiasmo por grandes causas sociais, como a abolição da escravatura. Depois dele, muitos outros vieram, mas como grande poeta que foi, teve seu nome perpetuado em nossa história, sendo, então, digno de reverências e homenagens.

6 de março de 2015

LITERATURA, MÚSICA, LEITURA E REDAÇÃO NA FAMASUL

Com depoimentos de Sylvia Beltrão e Marcondes Torres Calazans

Foi assim que aconteceu o minicurso 
ESTRATÉGIAS DE PRODUÇÃO TEXTUAL 
na FAMASUL (de 2 a 6/3/2015): 


O evento ministrado por Admmauro Gommes reuniu alunos de vários períodos de Letras da faculdade, com depoimentos da recém-formada Sylvia Beltrão, escritora, e os universitários Flávia Almeida, Ismael Roberto e José Rodrigues (mais conhecido por Zé Ripe). 


A programação constou dos tópicos:

1.     A leitura como prática que antecede a escrita;
2.     Gêneros e tipologia textuais;
3.     Redação: do haicai ao artigo científico;
4.     Características do texto literário; e
5.     Espécies de leitura (com destaque para a leitura em diagonal, que sugere que um livro de 70 páginas seja lido em 5 minutos).

Com o último tema, os alunos leram o livro Joaquim de Xexéu (Admmauro Gommes e Antonio de Souza Jr.)