30 de setembro de 2012

A POESIA DE CIDA


O AGRADECIMENTO DA POETISA

Caro professor, amigo, poeta e... muitas coisas mais, (inclusive, promotor de meus versos).

Cida Vilas Boas


Com o término do mês de setembro, desejo que meus agradecimentos por revelar meu poema"Saudades" na internet, se estendam a seus alunos que tão carinhosamente souberam interpretá-lo.


Sinto-me amiga de todos e "derretida" de amores por eles. Foram muito condescendentes para com meus versos e, me parece, fizeram a "lição de casa" de maneira a demonstrar seus conhecimentos de nossa literatura e corresponder àquilo que receberam deste professor tão empenhado em seu trabalho.

Parabéns, Prof. Admmauro. Eu já sabia de sua pedagogia enriquecedora e de seu esforço em proporcionar aos universitários tamanha dedicação.

Um favorzinho: Revele a seus alunos que eles estão definitivamente em meu coração e que já me sinto como uma ajudante deles e uma mãe que ora pelo progresso intelectual de seus filhos.

Sinto muitíssimo por não ter podido interagir com todos. Esse foi o único senão a aborrecer-me.

Obrigada,  meu caro Professor.
Obrigada, gente amiga da FAMASUL! 
Cida


 
OPINIÃO DOS UNIVERSITÁRIOS DA FAMASUL
Só consegui ler (a poesia de Cida) com a emoção de uma prazerosa leitura que até parece ser escrita para os nossos corações. - Carla Cristina.

A poetisa Cida mostra um lado humano, sentimental e que talvez nunca tivéssemos coragem de revelá-lo de uma forma tão natural. - Vanessa Paula.

A obra da poetisa Cida Vilas Boas (...) possui um lado sentimental que mexe com o pensamento do leitor, fazendo-o refletir sobre aspectos do convívio social. - Tamiris Manuela.

A poesia de Cida Vilas Boas nos faz viajar para um mundo encantado da paixão e do amor, nos trazendo de volta a beleza desses sentimentos. - Douglas Rocha.

A poesia de Vilas Boas, suave, merece e deve ser trazida à luz para o conhecimento e apreciação do publico. - George Gouveia.


 

A PUREZA DA POESIA
Admmauro Gommes
  
A. Gommes
CIDA VILAS BOAS é uma poetisa que tem escondido sua arte do grande público, mas que agora, com a motivação do Professor Wilson Santos (FAMASUL), resolveu nos premiar revelando seus textos, em primeira mão, neste blog. Esperamos que a arte DE CIDA por si, no sentido mais ambíguo possível, uma vez que sua poética reveste-se de uma pureza muito grande e sutilmente trata de temas profundos como a amizade sincera e o deslumbramento entre duas pessoas que se amam diante do ato amoroso, quando ela percebe em “Céu de sol em plena noite”, para fazer referência ao momento de prazer, ou na constatação cruel que “todos têm taças de dor.” Em outras palavras, Cida abre sua caixa de sonhos e segredos nessa estreia em professordeliteratura.blogspot.com.br
 
Wilson Santos

Portanto, mergulhemos na emoção de uma poesia envolvente. Como bem disse Wilson, “Um bom poeta é aquele que me emociona, faz-me saborear em seus textos as delícias da vida, levando-me à grande viagem pela lua, estrelas, mar e florestas... no encontro com os passarinhos, borboletas como o brilho do sol, em uma manhã de inverno. Ou o frescor do vento, em um final de tarde de verão. É assim que vejo a poetisa Cida, a tradução do grande calor humano, ilustrado nos versos, a beleza dos passos humanos.” Não precisa dizer mais nada. Vamos aos versos:


POEMAS DE CIDA


AMIGO

 
Amigo, ah! se eu pudesse
remover toda nuvem escura
instalada no seu coração
adentrar os túneis sombrios
percorrer a trilha obscura
tirá-lo da escuridão
pintar com réstias de luz
do sol que sempre reluz!

Amigo, ah! se eu pudesse
abaixar o febril desconsolo
aquecer o gelo da alma
esvaziar esse poço de dor
com leve sopro do amor!

Amigo, ah! se eu pudesse
enxugar seu pranto com calma
ofertar-lhe uma rosa molhada
do sereno da noite estrelada
que chora por seu torpor.

O sorriso então se faria
sua face assim mudaria
o abraço afinal chegaria
e o amor, por fim, jorraria.

Ah! se eu pudesse, amigo
fazê-lo entender duma vez
que alegria tem esse poder
de fazer esquecer o lamento
pois todos têm sofrimento
todos têm taças de dor.

Seguiríamos, amigo
os dois, a andarem ao léu
mãos nas mãos...
sonhos diáfanos debaixo de um véu
ornando o "agora", esse  "momento"
sorrindo em paz com ternura de céu.

Na certa, a porção do amor
em algum lugar há de estar.
Um dia , com toda certeza
haveremos de encontrar.

Espera, amigo! Sonha, confia!
Entrega esse fardo de dor
reparta comigo esse peso
que assim a leveza é maior
e a vida terá mais sabor.
 





CATEDRAL DO AMOR


No lusco-fusco do quarto
encortinado, atapetado
doce canção irradia
romance, ternura, amor
que embala o sonho dourado
da amada pelo amado
ansiosa a esperar.

Lençóis alvos de cetim
essência suave de flor
(rosa, cravo e jasmim)
inunda o ambiente
em tudo se faz presente
aquele amor tão ardente
pintado de tantas cores
que um mágico pincel
desenha, até distraído
rubros corações no céu.

Chuva de aroma festeja
a chegada triunfal
daquele querido, amado
sorridente, jovial
contemplando com doçura
aquela que com bravura
conquistou seu coração.

Quatro braços se entrelaçam
sorriso, pranto, paixão
num sonho intenso, gratuito
sem preconceito, sem medo
sem pressa e alheamento
só concentrando o momento
em grandiosa emoção.

Dois seres, agora, em transe
como anjos, sem o chão
voam pra junto às estrelas
que de alegria reluzem
como fogo a acendê-las.
(É assim que elas encantam
as noites, insones e calmas
do poeta e trovador
daqueles que tocam almas
espantando a sua dor).

Os amantes com ardor
num mundo novo se aninham
se falam e se afagam
num especial idioma
de quem tem todo sintoma
de amar e se dar valor.

Céu de sol em plena noite
luz, clarão, grande fulgor
veste o casal de amados
que finalmente se entregam
na catedral do amor.





O SORRISO DA MADRUGADA

 A noiva Madrugada
toda engalanada
com véu de estrelas
reluzentes, cintilantes
grinalda exalando
essências perfumadas
de flores orvalhadas
a coroar a rainha
da noite que se acaba.

Trêmula pelo vento suave
qual abano de asas de anjos...
Ou seriam arcanjos?
Não, ou, nada importa!
Esse séquito divino aguarda
o noivo amado que não tarda.
E, afinal, no vértice do horizonte
surge ele, alado, assombrado
com a beleza  daquela
prometida e tão sonhada.

Com eclosões de luzes
esplendores, raios dourados
o Astro-Rei
estende os braços alongados
para enlaçar sua amada
desejada, sublimada
em amor, toda transformada.

Adeus, Madrugada!
Felizes sejam! Exclama
da janela, o Poeta
que assiste o Sorriso da Madrugada.


11 comentários:

  1. Muito grata fica eu professor, pelo convite de ler tão belos poemas, que a autora não guarde mais tão linda obra, que ela exponha esse tesouro literário que ela possui.Fomos ensinados a ler observando a estrutura, com um olhar mais profissional, mas é muito dificil ler o poema Amigo com esse olhar frio, talvez uma reeleitura possa ajudar, mas numa primeira leitura só consegui ler com a emoção de uma prazerosa leitura que ate parece ser escrita para os nossos corações.
    Carla Cristina.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carla, parece que a poesia tocou sua sensibilidade de poeta!

      Na verdade, o escritor escreve com frieza, como disse Wordsworth, "emoção recolhida em tranquilidade." Mas essa escritura se faz dentro de um processo artístico com a finalidade de provocar emoção.

      Você está certa ao dizer que "é muito difícil ler o poema Amigo com esse olhar frio..."

      Finalmente, faço minhas as suas palavras: "que a autora não guarde mais tão linda obra."

      Excluir
  2. É sempre um grande prazer poder ficar conhecendo um pouco mais sobre a literatura, e principalmente poder conhecer artistas que se destacam com uma simplicidade que chega a levar ao leitor momentos prazerosos aos quais de uma certa forma mexe com o nosso lado sentimental.
    A poetiza Cida mostra um lado humano, sentimental e que talvez nunca tivessemos coragem de revelá-los de uma forma tão natural.

    Por: Vanessa Paula

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A literatura que se mostra profunda e ao mesmo tempo "de uma forma tão natural," com certeza, é fruto de muitas tentativas e reflete a maturidade do poeta.

      Em Cida, isso se revela com uma pureza que nos toca e "mexe com o nosso lado sentimental," como você bem percebeu, Vanessa.

      Excluir
  3. Realmente as obras da poetisa Cida Vilas Boas não merece ficar oculta, mas sim ser divulgada, para que encante um grande público. Os textos dessa autora é de uma beleza imensa e com sua simplicidade encantará todos que o ler. Através de uma linguagem simples ela transmite uma mensagem inigualável, seus textos possuem um lado sentimental que mexe com o pensamento do leitor, fazendo-o refletir sobre aspectos do convivio social.

    Parabéns a essa figura da Literatura, que até então estava escondida, mas que a apartir de agora terá um grande destaque em nossa literatura.

    Tamiris Manuela

    ResponderExcluir
  4. Douglas Rocha ( Letras - FAMASUL)

    A poesia de Cida Vilas Boas nos faz viajar para um mundo encantado da paixão e do amor, nos trazendo de volta a beleza desses sentimentos, para que possamos meditar na mensagem desses textos. assim temos mais uma grande autora no nosso mundo da poesia.


    Douglas Rocha

    ResponderExcluir
  5. Essa amostra grátis de linhas recheadas de doces sentimentos e subjetividade que nos remete aos grandes escritores românticos é a poesia de Vilas Boas, suave, merece e deve ser trazida à luz para o conhecimento e apreciação do publico.

    ResponderExcluir
  6. A poesia deve apresentar-se suave e ao mesmo tempo profunda, carregada de “sentimentos e subjetividade,” como disse George Gouveia (FAMASUL/4º letras -2012.1), mas que permita uma viagem “para um mundo encantado.”- Douglas Rocha - FAMASUL/4º letras -2012.1).” Esta é a poesia de Cida.

    ResponderExcluir
  7. Felipe 2°P Letras29 de agosto de 2012 16:42

    to meio atrasado mas vamos lá...

    Na minha experiência Lendo Cida pude notar
    o tamanho da qualidade de técnica que ela tem
    ao expor tudo.
    No primeiro poema podemos sentir a impotência de querer ajudar
    e saber que não pode mas ainda sim tentar com palavras.

    ``Ah! se eu pudesse, amigo
    fazê-lo entender duma vez
    que alegria tem esse poder
    de fazer esquecer o lamento
    pois todos têm sofrimento
    todos têm taças de dor.´´

    só um mestre compõe algo perfeito assim...

    Já no segundo poema a capacidade de Cida se espande de forma onipresente
    Olha como ela consegue descrever cenário, objetos e sentimentos de forma magnifica.

    ``No lusco-fusco do quarto
    encortinado, atapetado
    doce canção irradia
    romance, ternura, amor
    que embala o sonho dourado
    da amada pelo amado
    ansiosa a esperar.

    Lençóis alvos de cetim
    essência suave de flor
    (rosa, cravo e jasmim)
    inunda o ambiente
    em tudo se faz presente
    aquele amor tão ardente
    pintado de tantas cores
    que um mágico pincel
    desenha, até distraído
    rubros corações no céu.´´

    Foi nesse poema que notei a magnitude da sabedoria da mestra Cida que se preocupou em colocar tudo a sua volta em forma poética, nota-se a preocupação em não deixar o que é especial fora do poema e até os detalhes e também a técnica pra fazer isso.

    Concluo então que podemos ter Cida como grande exemplo poético para enriquecimento da sabedoria poética e da técnica pois posso dizer que sua técnica faz evoluir o conhecimento ao apreciarmos sua obra.

    Um Tributo a Cida Abaixo...

    A Arte de Cida

    Com a arte de Cida
    Intensamente podemos provar
    Da Experiência de poetisa
    Assim podemos notar

    Com arte da mestra pude contemplar
    Ilumidado saber
    De expor na poesia o viver
    As coisas mais belas que na vida há

    Com Um poema a ofertar
    Intimo minha alegria
    De tão linda obra que li
    A Cida isso escrevi

    Felipe da Silva Mata...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito importante o seu tributo, Felipe.

      Com certeza, Cida ficará muito feliz com essa homenagem. Ela constitui um belo exemplo para nós que entendemos que poesia não se mede nem pela idade nem por distância, como se vê em seu acróstico a Vilas Boas, bem como entre a sua poética e a dela.

      Excluir
  8. Igara Ramos da Silva 1º periodo de Letras29 de novembro de 2012 18:44

    O poema "ME ABRACE" de Ninah maria nos traz a ideia de introspecção lírica onde podemos perceber toda a carga metáforica que confirma seu demasiado intimismo.Ninah traz em seus versos um enaranhado de sentimentos poéticos transcritos em metáforas intensas,mas ao mesmo tempo suaves,delicadas e peculiares;Um gesto tão simples quanto um abraçoé capaz,quando habilidosamente em poema transfeito,de despertar os sentimentos mais vorazes e de criar belezas metáforicas realmente magnificas.

    Igara Ramos da Silva
    1°Periodo de LETRAS

    ResponderExcluir